revistas
As Revistas, com carinho…
13 de setembro de 2014
Borderlands (PC)
12 de novembro de 2014

Alien Isolation (PC)

O desespero...

O desespero…

Fãs de franquias sempre sofrem quando uma empresa lança um jogo daquilo que amam. Muitas vezes os jogos saem uma porcaria sem tamanho, outros conseguem arranhar a superfície do conteúdo original e, RARÍSSIMAS VEZES, conseguem beber tão bem da fonte que o fã adora e pede por mais e Alien Isolation é um destes casos raros.

Dos Jogos

Alien recebeu vários jogos para suprirem a necessidade dos fãs desta adorada franquia de Ficção Científica e Terror, muitos deles até que tentaram dar aquele climão que foi visto nos filmes, mas por falta de tecnologia na época, ficou tudo só na imaginação, como foi o caso de Alien, lançado para o Atari 2600 e Aliens, lançado em 1990 pela Konami para arcade, sendo mais um jogo de ação.

Quando saiu o filme Alien³, foi lançado um game com o mesmo título, só que pouco tinha a ver com aquilo visto no cinema a não ser o uso dos cenários e algumas partes pontuais da história, ainda assim o jogo seguia o estilo ação, bem diferente do filme. E assim foram sendo lançados mais e mais jogos até que em 2006 foi anunciado que a SEGA havia comprado os direitos eletrônicos da franquia Alien da 20th Century Fox, permitindo o desenvolvimento de novos títulos da mesma.

A Farsa

Assim se iniciou a produção de um dos mais controversos jogos já produzidos com o título Alien que, resumindo a história, a produtora contratada pela SEGA, a GearBox Software, recebia da gigante japonesa fundos para produzir Aliens: Colonial Marines, no entanto, a GearBox pegava a grana e o pessoal e jogava tudo no seu título, Borderlands.

Yep, um dos jogos mais cultuados dos últimos anos foi fruto de uma rasteira da GearBox Software na SEGA.

Infelizmente não deu para este jogo...

Infelizmente não deu para este jogo…

Quando Alien: Colonial Marines foi lançado o mesmo veio cheio de bugs e problemas, fazendo com que a 20th Century Fox processasse a GearBox Software e a SEGA por conta de mal uso da imagem da franquia e outras mentiras mais, uma boa história para contar numa outra hora.

A isolação

Voltando, depois do engodo que foi Colonial Marines, a SEGA deu para a Creative Assembly a missão de criar o próximo jogo da franquia e com um pequeno grupo em mãos fizeram muito mais do que a mentirosa GearBox deixou de fazer durante todo o ano de não produção de Colonial Marines.

Antes de continuar aqui, deixo com vocês a sinopse do jogo.

“Quinze anos após os eventos do primeiro filme, Amanda Ripley, filha de Ellen Ripley , é abordada por Christopher Samuels, da Weyland-Yutani , informando que o a caixa preta da nave Nostromo foi recentemente localizada por um navio chamado o Anesidora e está a bordo da Estação de Sevastopol, uma estação espacial de propriedade da Seegson Corporation, em órbita ao redor do gigante gasoso KG348.

Samuels oferece Amanda um lugar na equipe Weyland-Yutani enviada para recuperá-la, para que ela possa ter respostas sobre o destino de sua mãe desaparecida. Ripley, Samuels, e a executiva da Weyland-Yutani Nina Taylor viajam então para Sevastopol a bordo da nave Torrens , de propriedade do Capitão Verlaine.

Se você ficava agoniado com este dispositivo no filme Aliens... agora poderá ficar ainda mais no jogo!

Se você ficava agoniado com este dispositivo no filme Aliens… agora poderá ficar ainda mais no jogo!

O grupo chega em Sevastopol, encontra a estação danificada e com suas comunicações rompidas. Ripley, Samuels e Taylor tentam ir até a estação para investigar, mas o cabo de transporte é cortado por escombros e Amanda Ripley se separa deles, sendo forçada a entrar na estação por conta própria.”

Se você, caro leitor e fã de Alien, chegou até aqui e leu a sinopse acima, deve ter ficado com um sorriso no rosto ao saber que o jogo segue a cronologia oficial da franquia, sendo uma sequência direta do primeiro filme. E sabe o que isto significa?

A decadência

Tudo o que se vê no jogo é baseado nos designs originais de Ron Cobb, a ponto do pessoal da Creative Assembly ter uma regra sobre isso:

“Nós tínhamos uma regra: Se o material base que servia para o design do jogo não pudesse ser feito em 1979 com as coisas que eles tinham naquele momento, então nós também não iriamos criar.”, John McKellan, Arte Designer Líder.

Isto demonstra a importância para a Creative Assembly em tentar transmitir com absoluta precisão todos os trejeitos tecnológicos que foram vistos em Alien, o Oitavo Passageiro. Sabe aquele computador com tela de fósforo verde que vemos no filme? Está lá. As fitas magnéticas? Também estão lá. Os cartões de acesso do tamanho de uma mão? Do mesmo jeito.

Detalhes...

Detalhes…

Todos os mínimos detalhes que foram vistos na nave-estação Nostromo estão lá na base espacial de Sevastopol e não fica somente nisso. Todo o clima de tecnologia decadente também é bem aparente por todo o jogo, sem contar o estilo de corte de cabelo, roupas e maneira de falar… é como se o jogo fosse realmente um segundo filme e não apenas um título eletrônico.

E não termina por aqui. A trilha sonora segue os mesmos passos tanto do primeiro como do segundo filme. Se você é uma pessoa hipertensa ou toma sustos fáceis, por favor, não tente jogar este título, porque ele irá fazê-lo ficar com vontade de quebrar o mouse ou o controle de tão nervoso que vai ficar.

O nervosismo

Pense num jogo que te deixa nervoso. Não é por nada não, mas Alien Isolation conseguiu fazer comigo, este humilde autor, aquilo que quase nenhum filme de terror, horror consegue fazer a mais de vinte anos, que é me deixar tenso, ter pânico e ficar, digamos assim, desesperado.

Pois é isto que lhe acontece quando o Alien aparece, a Amanda entra em pânico e você também, junto com ela e os dois vão no embalo nada agradável de ter de se esconder ou correr do Alien cada vez que ele aparece.

Diferente dos outros jogos da franquia, onde você poderia matar o Alien, o Isolation brinca de forma sinistra com o bom e velho esconde-esconde, com a diferença que você está se escondendo de um dos predadores mais mortíferos já criados no cinema.

Melhor se esconder...

Melhor se esconder…

Seja debaixo da mesa, num corredor escuro, nos sistemas de emergência ou nos armários, os passos próximos do Alien a sua procura deixarão você com vontade de não querer mais sair daquele lugar, mas se ficar por muito tempo ele te achará.

Com uma mecânica bem diferenciada e com um clima que deixará os mais nervosos a beira de um ataque massivo de nervos, Alien Isolation conseguiu redimir a SEGA dos seus dois últimos desastres com a franquia.

O jogo foi lançado no dia 7 de Outubro de 2014 para Windows, PS3, PS4, X-box 360 e X-Box One, agora se você quer ter a real experiência deste jogo a melhor opção é a versão do PC com uma placa de vídeo decente hein?

Já jogou Alien Isolation?

Deixe sua nota aqui e discuta o game com a gente nos comentários do post…

Nota do Autor: 9
Nota do público:(16 votos) 6.6
Dê a sua nota:

Daniel Gomes
Daniel Gomes
Este ser é um viciado em games, sejam de consoles, sejam de PC's e tem uma paixão arrebatadora em Tecnologia, aficcionado em filmes dos anos 1980 e 1990, ele pode não se lembrar o nome do diretor, do filme ou do ator, mas quando tem opinião ele fala mesmo! SegaManiaco de Coração, ele também bate ponto nos sites Gamehall, Marketing & Games, Blast Processing, Brazuca Gamer e Comunidade Mega Drive!
%d blogueiros gostam disto: